MASP é hoje o museu com maior número de pinturas de Tarsila

Com o Comodato MASP Ronaldo Cezar Coelho e o Comodato MASP Banco Central, a instituição soma cinco pinturas da artista

Encerrada Tarsila Popular, a mostra mais vista da história do MASP com 402.850 visitantes, a instituição segue com cinco pinturas de Tarsila do Amaral. O conjunto faz do MASP hoje o museu com o maior número de pinturas da artista, um dos principais nomes do modernismo brasileiro.

Além das quatro obras anunciadas no início do ano, por ocasião da assinatura do comodato de dez anos com Banco Central, o MASP conta agora com Composição (Figura só), de 1930. O trabalho, cedido por três anos pelo colecionador Ronaldo Cezar Coelho, deve ser exposto em um dos cavaletes de vidro do museu nos próximos meses.

Em texto sobre a obra publicado no catálogo da exposição, também intitulado Tarsila popular, o diretor artístico do MASP, Adriano Pedrosa, diz que Composição (Figura só) “se destaca das demais obras de Tarsila”, tanto das que a artista fez antes como das que faria mais tarde.

Segundo Pedrosa, a obra, pode ser considerada um autorretrato por ser representativa do momento vivido pela artista. “Não por acaso é a única pintura feita em 1930. Aquele ano marca um ponto de inflexão na vida da artista, do país e do mundo. Em 1929, a abastada família de Tarsila, constituída de fazendeiros cafeicultores, perdeu a fortuna com a crise financeira internacional deflagrada pela quebra da bolsa de Nova York em outubro. Em 1930, um golpe de Estado põe fim à República Velha, mergulhando o país na chamada Era Vargas, em referência a Getúlio Vargas (1882-1954), que governou o Brasil até 1945. No mesmo ano de 1930, Tarsila perde o marido e parceiro intelectual Oswald de Andrade (1890-1954), que a abandona por Pagu, a escritora Patricia Rehder Galvão (1910-1962), num escândalo que chocou a sociedade paulista.

Nada mais seria como antes”, escreve Pedrosa. Parte do Conselho Deliberativo do MASP, o empresário Ronaldo Cezar Coelho tem longa relação com o mundo das artes. Além de atuar junto ao museu, Cezar Coelho está criando uma instituição cultural em Vassouras (RJ), com parte da coleção que adquiriu em 2015 da
colecionadora Beatriz Pimenta Camargo, presidente do MASP entre 2013 e 2014.

O catálogo Tarsila popular (360 páginas, R$ 159 em capa dura) segue à venda no MASP Loja. A unidade comercial do museu tem entrada gratuita e sempre aberta, independentemente das exposições.

 

Por: Gabriela Valdanha 

Siga-nos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *