Música em meio à pandemia: Tecnologia permite que músicos distantes gravem o 9º CD Robson Santos

EUA, Belo Horizonte e Nova Lima: por causa da pandemia do Novo Coronavírus, músicos que estão distantes trabalham juntos no novo CD do compositor mineiro, Robson Santos, que será lançado ainda este mês nas principais plataformas digitais de música

Um CD inteiro concebido em meio à pandemia do novo Coronavírus. As composições, os arranjos, cada instrumento e a gravação das vozes. Tudo foi trabalhado individualmente com os artistas envolvidos, cada um em sua casa. Dos EUA, Belo Horizonte e Nova Lima, cada músico mandou sua colaboração e, com a ajuda de muita tecnologia, conseguiram fazer em dois meses o que seria necessário pelo menos 100 horas de estúdio. O resultado é o novo CD, com nove faixas, do compositor Robson Santos. Intitulado “Pleiopolis”, que significa fazer várias atividades ao mesmo tempo, o CD é a celebração de 40 anos de jornada musical do artista e será lançado ainda neste mês.

Neste período de isolamento social em que o artista permaneceu em casa, Robson Santos contou com a companhia do violão, seu grande amigo e conselheiro. Entre uma dedilhada e outra, surgiram novas letras. Morando em Nova Lima, Minas Gerais, ele conseguiu se conectar com os vários músicos, alguns antigos parceiros, outros novos. Entre boas conversas com os amigos por aplicativos, surgiram os arranjos. Os da guitarra, por exemplo, vieram dos EUA, do guitarrista Guilherme Fonseca. “Algumas canções já existiam, mas receberam ajustes em função desse momento. As outras são novas, bem inspiradas nessa fase estranha que estamos vivendo. É interessante como do isolamento brotou tanta inspiração”, afirma o cantor. No último fim de semana, Robson fez o lançamento nas plataformas digitais do single “Balada Adolescente”, canção que fala sobre ansiedade e expectativa, sentimentos comuns nesses tempos atuais.

Para que o resultado ficasse primoroso, foi necessário que os músicos envolvidos tivessem em suas casas um estúdio com equipamento profissional. Todos utilizaram o mesmo software de gravação. Uma primeira mixagem foi feita no Estúdio 71, em BH. E depois seguiu para a Flórida, para a masterização final no Classic Music. Aqui vai entrar a fala da Luíza Mitre.

Com uma ficha técnica irretocável, o CD conta com ainda com a participação de nomes como Juarez Moreira, Kiko Mitre, Alexandre Andrés, Natália Mitre, Lincoln Scheib, Luisa Mitre, Lucas Telles, Bruno Veloso e Deangelo Silva. Arranjos deAdriano Campagnani, Deângelo Silva, Luisa Mitre, Juarez MOreira. Engenheiro de Som: Christiano Caldas, Masterização: Classic Master (Carlinhos FReitas).

Sobre Robson Santos
Robson Santos tem mais de 160 composições que vão do rock ao baião, passando pelas baladas, samba, jazz e bossa nova. Foi um dos primeiros artistas independentes do mercado brasileiro, ou seja, nunca houve vínculo com gravadoras. “Gosto de me sentir à vontade, de misturar os estilos e de formar as parcerias de acordo com o que vou “costurando” com minhas vivências e anseios”, define. Nascido no Rio de Janeiro, Robson já residiu em várias cidades brasileiras e também no exterior (Cleveland_OH), mas criou raízes na capital mineira. O cientista-músico começou a compor aos 12 anos de idade. As diversas influências culturais que ele teve podem explicar, em parte, a variedade de gêneros de suas canções.

 

Por: Kátia Soares
Foto: Samuel Mendes

Siga-nos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *