Projeto BRASIS POR ESCREVER, orientará a criação de dramaturgias a partir da realidade brasileira

A ação, que integra o Platô – Pesquisa e Produção, foi criada pelos dramaturgos Cecilia Ripoll e Diogo Liberano. Serão selecionadas seis pessoas das regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte e Sul para encontros virtuais por seis meses, nos quais serão orientadas na criação de dramaturgias originais

Como um texto teatral pode se relacionar com a história recente do Brasil? Como uma dramaturgia pode responder aos acontecimentos públicos da vida social em cidades brasileiras? Essas são algumas questões que guiam o projeto gratuito BRASIS POR ESCREVER, criado pelos autores e diretores cariocas Cecilia Ripoll e Diogo Liberano na busca por encontros e trocas com autores de outras partes do Brasil. Com inscrições abertas a partir de 19 de outubro, o projeto reunirá os orientadores com seis participantes para encontros semanais durante seis meses, nos quais serão realizados estudos e criações de novas dramaturgias. Serão selecionadas: uma pessoa nascida e residente na região Centro-Oeste do Brasil; duas na região Nordeste; duas na região Norte; e uma nascida-residente na região Sul. O projeto não oferecerá vagas para pessoas nascidas e residentes na Região Sudeste do Brasil, tendo em vista ser a região de origem dos criadores do projeto. O regulamento completo e a ficha de inscrição estão disponíveis em www.p-l-a-t-o.com e os selecionados serão divulgados no dia 9 de dezembro.

A cada semana, será realizado um encontro com duração de três horas por meio da plataforma Zoom. Dando ênfase à escrita de dramaturgias que, de modos diversos, possam abordar algum aspecto da realidade brasileira, o projeto prevê estudos relativos não apenas às inúmeras questões do Brasil contemporâneo como também às experimentações cênicas e dramatúrgicas feitas hoje em dia.

“Nos conhecemos em 2017, no Núcleo de Dramaturgia Firjan Sesi, coordenado por mim, e do qual Cecilia foi integrante. Sua dramaturgia final ROSE, publicada e encenada, propõe um jogo ficcional a partir de um dado real: o desvio da verba previamente destinada à merenda de escolas públicas. Desde então, seguimos interessados na investigação de quais narrativas uma dramaturgia pode oferecer a determinada realidade”, observa Liberano. “BRASIS POR ESCREVER busca investigar isto de modo mais abrangente, destinando-se a regiões outras do Brasil que não a nossa, para ampliar o diálogo e a troca a partir de olhares diferentes sobre o nosso país”, acrescenta Ripoll.

O processo seletivo será feito por Cecilia Ripoll e Diogo Liberano a partir da avaliação das fichas de inscrição, um texto de no máximo duas páginas e a respectiva documentação solicitada. BRASIS POR ESCREVER fará seu primeiro encontro no dia 16 de dezembro de 2020, retomando as atividades em janeiro e seguindo até junho de 2021, com um encontro por semana, totalizando 24 encontros. No total, serão mais de 70 horas de trabalho em grupo, fora conversas e encontros entre cada participante e os orientadores.

“Um dos aspectos que mais nos interessa é qual tipo de desafio uma dramaturgia, criada a partir de um diálogo cuidadoso e coletivo, pode oferecer à prática teatral”, afirma Ripoll. De acordo com Liberano, “o Brasis que dá título ao projeto sinaliza a nossa busca por narrativas plurais propostas por pessoas diversas e de regiões outras do país que não apenas a Sudeste.”

Para além de um grupo de estudos, o BRASIS POR ESCREVER deseja ser um laboratório intensivo voltado à pesquisa e à produção de dramaturgias. Por toda a duração do projeto, os autores serão lidos e comentados pelos outros participantes e pela dupla de orientadores, apostando na troca coletiva como um ingrediente primordial para a composição de textos tão diversos como as questões que afligem nosso país.

BRASIS POR ESCREVER, uma realização do Platô – Pesquisa e Produção, projeto pedagógico de Diogo Liberano iniciado em março de 2020, nasce movido pelo desejo de futuras edições. Outro desejo deste projeto é, por meio de parcerias, realizar a publicação em livro das dramaturgias criadas bem como encenações teatrais dos textos.

 

Sobre o Platô – Pesquisa e Produção

O Platô nasce do entrecruzamento de práticas indissociáveis na trajetória do artista, pesquisador e professor Diogo Liberano: a produção, a pesquisa e a pedagogia em arte. Por meio da formação de turmas (platôs) para o estudo de tópicos diversos em arte, almeja-se aprofundar a pesquisa e a criação artística através de um plano pedagógico que preze pela autonomia dos participantes e pelo aprimoramento de seus distintos modos de fazer.

O Platô se origina nutrido pelo interesse do estudo e movido pela partilha do aprendizado, ciente de que a pesquisa abre desafios ao fazer artístico, bem como a arte expande os horizontes que nos auxiliam na interpretação e interação com a nossa realidade social e política. O projeto teve início em março de 2020 e, para além de atividades presenciais na cidade do Rio de Janeiro, também realiza encontros virtuais por meio da plataforma Zoom, possibilitando o estudo e a troca com pessoas de outras partes do Brasil.

 

Sobre Cecilia Ripoll

É dramaturga, diretora e atriz, formada em Licenciatura Plena em Artes Cênicas pela UNIRIO. Indicada ao Prêmio Shell (RJ) pela dramaturgia ROSE (direção de Vinicius Arneiro) em 2018, publicada pela Editora Cobogó e composta por Cecilia Ripoll em 2017 no Núcleo de Dramaturgia Firjan SESI, coordenado por Diogo Liberano. Fundadora do Grupo Gestopatas, que tem projetos pedagógicos e montagens cênicas adultas e infanto-juvenis, dentre elas PACO E O TEMPO (texto e direção de Ripoll), uma das dramaturgias vencedoras do III Concurso Jovens Dramaturgos do Sesc 2013 e premiada no FENATA por Melhor Texto e Melhor Espetáculo infanto-juvenil. Também como dramaturga, participou da residência BETSUD/Primavera Dei Teatri, Castrovillari, Itália. Além da formação pela UNIRIO, considera igualmente importante sua formação através do teatro de grupo, iniciada em 2000 na Companhia do Gesto, com a qual participou de diversas montagens como atriz e assistente de direção.

 

Sobre Diogo Liberano

É diretor teatral, dramaturgo e professor graduado em Artes Cênicas: Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena (PPGAC/UFRJ) e doutorando em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela Pontifícia Universidade Católica (PPGLCC/PUC-Rio). É professor da Faculdade CAL de Artes Cênicas, coordenador do Núcleo de Dramaturgia Firjan SESI e diretor artístico e de produção da companhia carioca Teatro Inominável, junto a qual é curador e diretor artístico da Mostra Hífen, mostra de artes da cena, desde 2012. Liberano dirigiu cerca de 30 espetáculos teatrais, fez curadorias de mostras e eventos artísticos e escreveu cerca de 40 dramaturgias, todas elas encenadas. Algumas delas, foram publicadas no Brasil pela editora Cobogó e outras foram traduzidas e/ou publicadas em espanhol, inglês e italiano. Por seu trabalho, foi indicado aos principais prêmios de teatro do Rio de Janeiro: Prêmio Shell, Cesgranrio, APTR e Questão de Crítica. Suas áreas de interesse misturam atuação e direção teatral, dramaturgia, performance, curadoria e ensino de artes cênicas.

 

Cronograma

Lançamento e divulgação da convocatória: 19 de outubro de 2020.

Período de inscrições: de 19 de outubro a 24 de novembro de 2020.

Avaliação das inscrições: de 25 de novembro até 08 de dezembro de 2020.

Divulgação dos selecionados e dos suplentes: 09 de dezembro de 2020.

Período para confirmação da participação: de 10 a 14 de dezembro de 2020.

Primeiro encontro: 16 de dezembro de 2020.

Retorno dos encontros: 13 de janeiro de 2021.

Duração do projeto: de dezembro de 2020 a junho de 2021

 

Sobre BRASIS POR ESCREVER e Platô – Pesquisa e Produção

Pelo site – https://www.p-l-a-t-o.com/

Pelo Instagram – https://instagram.com/platopesquisaeproducao

Pelo e-mail – platopesquisaeproducao@gmail.com

 

 

Por: Rachel Almeida

Siga-nos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *