Pablo Carranza lança Podrão Aniquilação, pela Mau Gosto Corp.

Você nunca mais vai encarar uma maionese verde da mesma forma

Ler gibis podreira faz bem também, sabia? Em tempos de histórias de super-heróis saindo mais que água na torneira e quadrinhos dos mais variados gêneros tomando conta das prateleiras e dos mais vendidos das livrarias, ler um gibi como o “Podrão Aniquilação”, de Pablo Carranza, lançado pela Mau Gosto Corp., foi um prato cheio! Quer dizer, um podrão desses que vende em parquinho de diversão onde pegar tétano e uma intoxicação alimentar faz parte do pacote.

“Podrão Aniquilação” se passa no PLAYLANDIA, um lugar de sonhos e diversões, mas que corre grande perigo. Uma praga se espalha, a praga gourmet que ameaça trabalhadores do ramo de pastel e lanche podrão. Seriam eles capazes de superar suas diferenças para juntos encontrarem um novo meio para a prosperidade? E a que custo? O segredo da maionese brilhosa pode esconder muito mais do que você imagina e quem poderá acabar com os sinistros desaparecimentos? Monga a mulher macaco? Professor Edinho? Bareta o delegado?

Muitas perguntas, né? Mas posso dizer que as respostas podem te surpreender. A leitura é divertida e a catarse tá garantida. A cada página passada, o pensamento que fica é que o autor tem muita merda na cabeça. Só tem doideira na mente desse cara e isso fica evidente ao ler o quadrinho.

Mas Bruno, isso é ruim? JAMAIS! Primeiro porque ele conseguiu juntar algumas coisas que fizeram muito sucesso no finalzinho dos anos 80 e durante a década de 90 todinha. As principais são a Monga e a casa de fliperamas Playland (que ainda existe). A primeira era uma atração do Playcenter, (que foi um parque de diversões muito famoso em São Paulo) em que uma mulher se transformava em grande e horripilante macaco. Já segunda, é a única coisa que sobrou desse parque e que ainda funciona atualmente, mas agora só em alguns shoppings da capital paulista.

Além de referências ao cantor Fagner e RPM, rola até um headbanger fã de Angra na história. O traço e a forma como a história é contada pode parecer simples, mas há tantos detalhes em torno da maionese brilhante, que tudo vai ficando melhor e ainda mais nonsense. Ou seja, só pega essa bagaça e vai se divertir lendo uma merda das boas.

“Podrão Aniquilação” está à venda na loja do autor e vem até autografado. São 288 páginas em papel de alta gramatura e acabamento com capa cartão.

 

Por: Bruno Fonseca
Fonte: Proibido Ler

Siga-nos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *